sexta-feira, 4 de novembro de 2016

CONVITE MAIS QUE ESPECIAL E IMPORTANTE ...






COM IMENSA ALEGRIA CONVIDAMOS 
 MÉDIUNS E ALUNOS DA ESCOLA DO ALVORADA 

DIA 05/11/2016 SÁBADO PRÓXIMO 
HORÁRIO : 8:30 AS 12:00H
LOCAL : NUCLEO ALVORADA CURA 




HARMONIZAÇÃO E DESDOBRAMENTO COLETIVO 
COM NARA DE BRASÍLIA E SUA EQUIPE 

IMPRESCINDÍVEL A PRESENÇA DE TODOS !!!

COLABORAÇÃO DE CADA UM TRAZENDO UM PRATO PARA O COFFE BREAK ...





terça-feira, 1 de novembro de 2016

02 de novembro - DIA DE FINADOS NA VISAO ESPÍRITA






A Doutrina Espírita nos mostra que somos Espíritos eternos e imortais. Quando encarnados, temos o corpo físico,e os corpos espirituais.

Quando desencarnados, nos desligamos de nosso corpo físico. A vontade, a inteligência, as emoções, tudo está no Espírito.

Portanto, logo percebemos que a morte como conhecemos não existe. Ninguém morre, no sentido de acabar. A morte então é uma passagem do plano físico para o plano espiritual. Isso se dá para que desenvolvamos nossas qualidades morais.

E embora tenhamos um grande desenvolvimento intelectual, a morte ainda não é bem entendida para a maioria de nós, mesmo os espiritualistas e até os espíritas, se tocarmos no sentido do apego. Embora o entendimento esteja na mente, o coração responde diferente.

Não é à toa que uma enorme quantidade de espíritos desencarnados expressarem suas dificuldades na vida de além túmulo, com relação as saudades de seus entes queridos, e vice-versa. E é este excesso de apego que cria situações extremamente desconfortantes, onde entramos em grande desequilíbrio nos momentos de separação mais brusca.

Mesmo quem entende a morte, sofre a dor da separação. Porém, é preciso modificar a nossa ideia acerca da vida, que não se resume a vida material, mas essencialmente a vida espiritual.

Nossos entes queridos são empréstimos de Deus para que possamos nos desenvolver cada vez mais. Mas que amor é esse, que desenvolvemos por eles, que em vez de pacificar nossa evolução, que em vez de fazer o bem, acaba prejudicando com o peso da saudade?

O dia de finados deve ser visto então como mais um dia em que devemos elevar nosso pensamento a Deus, orando fervorosamente por aqueles que já partiram, para que esta prece, feita sempre de coração, seja um alívio para aqueles que nós amamos e já partiram para a pátria espiritual.

A prece está entre os maiores bens que podemos fazer em benefício daqueles que já partiram, mas não é estagnada a apenas uma data no ano. Se quem partiu está na condição de sofrimento ou de perturbação, a prece será de grande benefício.

Se quem partiu está consciente, lúcido de sua realidade espiritual, da mesma forma, a prece chegará como um bálsamo ao coração de quem amou, pela lembrança e pelo carinho.

Vejamos o que nos dizem os Espíritos, através de Kardec:

321. O dia da comemoração dos mortos é, para os Espíritos, mais solene do que os outros dias? Apraz-lhes ir ao encontro dos que vão orar nos cemitérios sobre seus túmulos?

"Os Espíritos acodem nesse dia ao chamado dos que da Terra lhes dirigem seus pensamentos, como o fazem noutro dia qualquer."

a) - Mas o de finados é, para eles, um dia especial de reunião junto de suas sepulturas?

"Nesse dia, em maior número se reúnem nas necrópoles, porque então também é maior, em tais lugares, o das pessoas que os chamam pelo pensamento."

323. A visita de uma pessoa a um túmulo causa maior contentamento ao Espírito, cujos despojos corporais aí se encontrem, do que a prece que por ele faça essa pessoa em sua casa?

"Aquele que visita um túmulo apenas manifesta, por essa forma, que pensa no Espírito ausente. A visita é a representação exterior de um fato íntimo. Já dissemos que a prece é que santifica o ato da rememoração. Nada importa o lugar, desde que é feita com o coração." ("O Livro dos Espíritos")
FONTE : http://www.auxiliofraternidade.com.br/artigovw.php?cod=72








O hábito de visitar os mortos, como se o cemitério fosse sala de visitas do Além, é cultivado desde as culturas mais remotas. Mostra a tendência em confundir o indivíduo com seu corpo. Há pessoas que, em desespero ante a morte de um ente querido, o "VISITAM" diariamente. Chegam a deitar-se no túmulo. Desejam estar perto do familiar. Católicos, budistas, protestantes, muçulmanos, espíritas - somos todos espiritualistas, acreditamos na existência e sobrevivência do Espírito. Obviamente, o ser etéreo não reside no cemitério. Muitos preferem dizer que perderam o familiar, algo que mostra falta de convicção na sobrevivência do Espírito. Quem admite que a vida continua jamais afirmará que perdeu alguém. Ele simplesmente partiu. Quando dizemos "perdi um ente querido", estamos registrando sérios prejuízos emocionais. Se afirmarmos que ele partiu, haverá apenas o imposto da saudade, abençoada saudade, a mostrar que há amor em nosso coração, o sentimento supremo que nos realiza como filhos de Deus. Em datas significativas, envolvendo aniversário de casamento, de morte, finados, Natal, Ano Novo, dia dos Pais, dia das Mães, sempre pensamos neles.

COMO PODEMOS AJUDAR OS QUE PARTIRAM ANTES DE NÓS? Envolvendo o ser querido em vibrações de carinho, evocando as lembranças felizes, nunca as infelizes; enviando clichês mentais otimistas; fazendo o bem em memória dele, porque nos vinculamos com os Espíritos através do pensamento. Além disso, orando por ele, realizando caridade em sua homenagem, tudo isso lhe chegará como sendo a nossa contribuição para a sua felicidade; a prece dá-lhe paz, diminui-lhe a dor e anima-o para o reencontro futuro que nos aguarda.

PODEMOS CHORAR? Podemos chorar, é claro. Mas saibamos chorar. Que seja um choro de saudade e não de inconformação e revolta. O choro, a lamentação exagerada dos que ficaram causam sofrimento para quem partiu, porque eles precisam da nossa prece, da nossa ajuda para terem fé no futuro e confiança em Deus. Tal comportamento pode atrapalhar o reencontro com os que foram antes de nós. Porque se eles nos visitar ou se nós os visitarmos (através do sono) nosso desequilíbrio os perturbará. Se soubermos sofrer, ao chegar a nossa vez, nos reuniremos a eles, não há dúvida nenhuma.

ENTÃO OS ESPÍRITAS NÃO VISITAM O CEMITÉRIO? Nós espíritas não visitamos os cemitérios, porque homenageamos os “vivos desencarnados” todos os dias. Mas a posição da Doutrina Espírita, quanto as homenagens (dos não espíritas), prestadas aos "MORTOS" neste Dia de Finados, ao contrário do que geralmente se pensa, é favorável, DESDE QUE SINCERAS E NÃO APENAS CONVENCIONAIS.

Os Espíritos, respondendo a perguntas de Kardec a respeito (em O Livro dos Espíritos), mostraram que os laços de amor existentes entre os que partiram e os que ficaram na Terra justificam esses atos. E declaram que no Dia de Finados os cemitérios ficam repletos de Espíritos que se alegram com a lembrança dos parentes e amigos. Há espíritos que só são lembrados nesta data, por isso, gostam da homenagem; há espíritos que gostariam de serem lembrados no recinto do lar. Porque, se ele desencarnou recentemente e ainda não está perfeitamente adaptado às novas realidades, irá sentir-se pouco à vontade na contemplação de seus despojos carnais; Espíritos com maior entendimento, pedem que usemos o dinheiro das flores em alimento aos pobres. Portanto, usemos o bom senso em nossas homenagens. Com a certeza que ELES VIVEM. E se eles vivem, nós também viveremos. E é nessa certeza que devemos aproveitar integralmente o tempo que estivermos encarnados, nos esforçando para oferecer o melhor de nós em favor da edificação humana. Só assim, teremos um feliz retorno à pátria espiritual.

FONTE :http://grupoallankardec.blogspot.com.br/2010/10/o-que-o-espiritismo-diz-sobre-finados.html




sexta-feira, 28 de outubro de 2016

CONVITE IV Encontro UGEA 2016 - Jardelino Ramos Caxias do Sul-RS





O tema escolhido foi “Apometria – Uma Ferramenta para a Cura”. Onde teremos o foco principal voltado ao Câncer, a Drogadição e a Depressão.  

Dentro do evento, haverá na parte da tarde interação entre as pessoas de diversas casas, com o objetivo de trocarmos experiências na busca da cura através das mais variadas técnicas.

As inscrições para o evento serão somente através do hotsite: www.jardelinoramos.org.br/ugea

O almoço, será por adesão, com o valor de R$ 25,00.
Ocorrerá no refeitório da entidade e será por adesão. Quem se interessar, favor selecionar esta opção no momento da inscrição.
Como a casa trabalha dando assistência e educação à crianças e jovens em situação de risco, pedimos que no momento do credenciamento, sejam doados 2 Kg de alimentos não perecíveis ou o valor de R$ 10,00. 
Estas doações terão como destino o Centro Educativo da entidade, que atende 100 crianças e adolescentes no turno inverso ao da escola.


quarta-feira, 26 de outubro de 2016

DICA DE LEITURA ...




1-Universalismo Crístico – o Futuro das Religiões é um livro profético que procura preparar a humanidade para a visão espiritual do futuro: a busca consciente de espiritualidade, em oposição à submissão religiosa atual que escraviza ao invés de libertar. Adotando uma metodologia simples e filosófica, baseada em três alicerces principais, o autor nos apresenta a idéia central que procura unir os ensinamentos de todas as religiões e propõe um mecanismo evolutivo para que ela se mantenha sempre atual e dinâmica, resolvendo o maior problema das religiões: a estagnação em meio a um mundo em constante movimento.
Em desdobramento espiritual, ele visita as esferas espirituais superiores e as regiões sombrias do Astral inferior para obter a opinião dos mestres de luz e dos magos negros sobre o universalismo crístico. Em uma segunda parte, narra a ação dos precursores da Nova Era para implantar na Terra a visão espiritual do terceiro milênio, com uma leveza e idealismo emocionantes. O jovem Rafael, orientado pelo Alto, ao lado de sua alma gêmea, Érica, impressiona multidões com sua sabedoria e lucidez espiritual, inspirando os idealistas e silenciando os ortodoxos mais retrógrados.
Um livro que funde os estilos já apresentados em Sob o Signo de Aquário e A História de um Anjo, e, como diz Hermes no prefácio: “Todo aquele que deseja ser livre e busca a verdade por suas próprias mãos, que nos siga nas próximas páginas…”




2-Universalismo Crístico Avançado é, sem dúvida, mais um livro arrebatador de Roger Bottini Paranhos que traz ensinamentos e reflexões capazes de provocar um profundo despertar no leitor. Valendo-se de uma linguagem atual e envolvente, o autor apresenta emocionantes diálogos travados com o seu mentor espiritual, Hermes Trimegisto, em que aprofunda o conceito de universalismo crístico, mergulhando no campo comportamental através de três novos alicerces: o profundo entendimento do amor, a necessidade do autoconhecimento e a compreensão do modo de pensar de nossos semelhantes, revelando que a verdadeira iluminação reside na conquista da consciência e dos valores espirituais, que levam o homem ao seu pleno desenvolvimento pessoal, independentemente de suas crenças religiosas.
O mais impressionante é que o autor nos apresenta a teoria e, concomitantemente, mergulha na exemplificação prática, compartilhando com o leitor a sua própria experiência pessoal, em relatos como: a desativação de mais uma pirâmide hipnótica no Astral, duelos verbais com magos negros, um mergulho dentro de si mesmo para confrontar e vencer o seu lado “sombra”, reflexões dramáticas sobre uma grande desilusão amorosa, e um encontro absolutamente magistral no último capítulo.
Universalismo Crístico Avançado é obra que prende intensamente a atenção, deixando-nos saudosos ao término da leitura, por nos desligarmos de ensinamentos que nos consagram a alma e promovem uma fantástica transformação em nosso universo interior.












A humanidade não evolui aos saltos, mas sim passo a passo, entretanto, de tempos em tempos, a Alta Espiritualidade nos presenteia com novos direcionamentos para caminhos verdadeiros no sentido do amor e do progresso, quebrando paradigmas e convidando-nos a um novo roteiro espiritual. Foi assim na época de Akhenaton e Moisés, com a mensagem do Deus Único, e depois com Jesus em seu inesquecível convite ao caminho do Amor Universal.
Mais do que nunca, espera-se que espiritualidade e ciência se fundam para permitir um maior crescimento evolutivo de nossa humanidade em todos os aspectos. E que, nesse ínterim, as religiões, que servem e serviram para religar o homem ao Divino, também se unifiquem para tornarem-se um moderno instrumento que auxilie o homem em sua nova jornada evolutiva no terceiro milênio: a era de aquário, que exigirá uma nova postura espiritual, onde o homem deverá conhecer-se, buscar verdadeiramente espiritualizar-se, em oposição a formal submissão religiosa que vigora nos dias atuais. Estamos adentrando na era da conscientização espiritual e abandonando a da alienação frente aos sagrados objetivos da vida.
Esse processo de fusão religiosa e cultural entre todos os povos do planeta é o que a própria Alta Espiritualidade da Terra – desencadeadora dessa visão – denominou de Universalismo Crístico, que é o primeiro passo de unificação verdadeira dos princípios espirituais trazidos à Terra pelos grandes avatares de nossa história. É necessário colocar a mensagem cristalina do Alto à frente das religiões que “engessaram” a verdade trazida por esses grandes líderes espirituais.
Ao contrário do que muitos podem pensar, não se trata de um movimento, mas sim de uma ação individual consciente, tolerante e paciente, que se sustenta no diálogo aberto entre todas as religiões. Ninguém se auto-intitulará o dono da verdade, mas o debate será convocado para que, junto com o bom senso e a razão, se promova uma evolução no modelo espiritual vigente.
Obviamente alguns princípios são fundamentais para servirem de estrutura para o Universalismo Crístico, assim como as fundações de uma casa.
Os princípios básicos são:
I- O amor ao próximo como a si mesmo buscando cultivar as virtudes crísticas de forma verdadeira e incondicional refletindo diretamente o amor do próprio Criador.
II- A crença na reencarnação do espírito e do carma, pois sem esses princípios não existe justiça divina.
III- A busca incessante pela sabedoria espiritual aliada ao progresso filosófico e científico com o objetivo de promover a evolução integral da humanidade.
Os princípios avançados são:
I – A compreensão profunda e verdadeira do amor;
II – O pleno desenvolvimento pessoal através da busca do autoconhecimento;
III – A compreensão do modo de pensar de nossos semelhantes, com o objetivo de aceitá-los com mais tolerância
Além desses pilares principais, o Universalismo Crístico deve ser norteado por duas premissas fundamentais:
I – A primeira é a lei do amor. Tudo que foge da maior das virtudes deve ser descartado, pois não provém de Deus.
II – A segunda é a busca da verdade. Jesus nos ensinou: Conhece a verdade e a verdade te libertará. A verdade está onde estão o bom senso e a lógica.
O Universalismo Crístico é principalmente uma ação individual que visa o coletivo. A aceitação do outro, mas com respeito e diálogo, pois ao final, compreenderemos que somos todos células de um mesmo corpo: a humanidade.
Missão
Promover uma visão espiritual elástica que atenda aos anseios de todos os grupos sociais e religiosos, com o objetivo de despertar um verdadeiro sentimento de Espiritualidade na humanidade, incluindo, inclusive, aqueles que se intitulam ateus e agnósticos por não aceitarem os modelos obsoletos do passado.
Hermes






FONTE :http://universalismocristico.com.br/

http://www.ucrs.com.br/  


quinta-feira, 20 de outubro de 2016

CONCERTOS DIDÁTICOS NA CASA DA CULTURA EM 19/10/2016 COM LUCIANO CESA E CARLOS ZIGNANI

Música erudita18/10/2016 | 13h00Atualizada em 18/10/2016 | 13h00

Luciano Cesa e Carlos Zinani lançam CD "Concertos Didáticos" nesta quarta-feira, em Caxias do Sul


Tem clima de celebração o espetáculo que os músicos Luciano Cesa e Carlos Zinani apresentam nesta quarta-feira no Teatro Pedro Parenti, em Caxias do Sul. Isso porque o show marca o lançamento do CD Concertos Didáticos, resultado de um projeto desenvolvido pelo duo de piano e violino que leva música clássica para escolas públicas de Caxias do Sul. Com financiamento do Financiarte, a iniciativa tem instituições de ensino estaduais como alvo em 2016.
No ano passado, Cesa e Zinani se apresentaram para mais de 3 mil alunos entre seis e 18 anos de escolas municipais com outro projeto, o Música Clássica nas Escolas, também por meio do Financiarte. O projeto também originou um CD homônimo. Na maioria das vezes, os concertos são realizados na quadra de esportes dos colégios e durante as apresentações, os músicos procuram interagir com os estudantes, mostrando que a música clássica pode ser executada em qualquer lugar.
— Segundo estudos científicos, está comprovado que crianças que têm contato com música clássica têm mais facilidade nos estudos e no aprendizado escolar — afirma Cesa, músico há aproximadamente 30 anos.
No concerto desta quarta-feira, a dupla, acompanhada pelo violinista Rodrigo Duarte Maciel, interpretará obras de grandes compositores, como Beethoven, Bach, Brahms, Chopin, Handel e Schubert, entre outros, intercalando as peças com explicações e curiosidades a respeito de cada música. O repertório contempla composições como A Primavera (Vivaldi), Pour Elise (Beethoven), Dança Húngara N.5 (Brahms), Va Pensiero (Verdi) e Meditação de Thais (Massenet).
— Procuramos escolher músicas que as crianças gostam — salienta Cesa, acrescentando que o concerto é aberto também a adultos.
Além de piano e violino, algumas músicas contam com sax alto, flauta contralto e trombone. Em outra parte do show, haverá a execução de música instrumental indiana clássica, com instrumentos tradicionais como tampura, sarod, harmonio, mridanga e tigelas de cristal.

PARA QUEM PERDEU , SEGUE ABAIXO CONTATOS PARA ADQUIRIR OS CDS :
WHATTS- 9967-7715
FACEBOOK : CONCERTOS DIDÁTICOS 

LEMBRETE :
LUCIANO CESA ESTARÁ TOCANDO , CANTANDO E NOS ENCANTANDO NESTA PRÓXIMA SEXTA DIA 21/10 A PARTIR DAS 19H NO ALVORADA ...